DW AngolaOnline Library

Online Library

Roque Santeiro Informal Market - Informal Market World Atlas

Allan Cain
Wednesday, 31 December, 2025

The market of Roque Santeiro emerged as an important centre of the informal economy in Luanda in the 1980s as the government encouraged people who had begun to sell on street corners to move to what was, before 1985, a piece of waste ground and informal rubbish tip. Even then, though the government was not in favour of the growth of the informal economy it was unable to prevent it and felt that it could only move it to what was then a marginal location. In the late 1980s and 1990s Roque Santeiro was the largest market in the city (and possibly the largest open-air market in Africa) serving as the main distribution point for other markets as well as selling directly to the public: goods from other areas of Angola and goods imported through the port (a short distance away) were traded in bulk at Roque Santeiro and then traded in smaller quantities in other areas of the market or in other locations.
The informal trading economy in Luanda continued to grow in the decade after the achievement of peace in Angola. The main underlying factor that contributes to the continued importance of the informal trading economy is the shortage of formal employment, which leads to large numbers of people creating their own economic activities in ways that require only small amounts of capital and low levels of skill.
Roque Santeiro was closed in 2010. Many day and casual labourers have lost their livelihoods, a scenario which may have contributed to increased levels of crime and delinquency in Luanda. The market had been a huge source of employment within the city, and its transfer meant a loss of employment for stevedores and ambulant sellers who earned a daily livings there and local house owners who provided overnight temporary warehousing of merchandise.
The Government however has renewed its determined effort to stamp out informal trading in early 2014 by announcing a heavy regime of fines, not only on informal traders, but on their customers as well. The image of the informal trader is seen as an affront to those who wish to promote the vision of Luanda as a world-class modern city, despite the fact that these informal markets still provide essential services and employment to much of the urban population.

Relatório de desenvolvimento Humano 2020

PNUD
Wednesday, 16 December, 2020

Estrutura da apresentação

1- O Desenvolvimento Humano na era do Antropoceno

2- Trajetória de Angola no desenvolvimento humano

3- Conclusões

Housing for Whom - Rebuilding Angola’s Cities After Conflict and Who Gets Left Behind

Allan Cain
Sunday, 6 December, 2020

Since the end of the civil war in 2002, the government of Angola has used Chinese credit facilities backed by petroleum-based guarantees to build prestige urban projects on a scale that in sub-Saharan Africa is second only to post-apartheid South Africa. Decades of rural-urban migration have turned Angola into one of Africa’s most urbanized countries, with 62% of its population living in cities. State-delivered subsidized housing has satisfied an important segment of the middle-class and better-paid civil servants, but few of the urban poor benefited from Angola’s major budget allocations for housing that failed to deliver on commitments made to build sustainable and equitable cities. With the collapse of oil prices after 2014, the Angolan state budget has been drastically reduced, and it is unlikely that the government will be able to provide investment and subsidies to continue building new large-scale housing projects. While the private sector, both international and local, has to date, been a major beneficiary of construction contracts from the state. The private sector has been reluctant to provide its own financing and to invest in real estate itself, due to weak land tenure and the lack of legislative reforms to make a functional land market. Solving the problems around land may be a way to stimulate the engagement of private-sector participation in providing direct financing for the housing sector.

Comunidade de Casseteco Beneficia de Título de Terra

Ondaka
Tuesday, 1 December, 2020

O ano de 2020 fica para história com factos marcantes para humanidade. É um ano que certamente deixa lembranças desagradáveis para todos nós, independentemente do status social.
As metas individuais e colectivas traçadas para serem alcançada no decorrer dos 365 dias que compõe o
ano 2020, têm de uma forma geral, um balanço negativo. Este balanço está fortemente vinculado ao
impacto que a Covid-19 tem na macroeconomia do país, afectando sobretudo na vida das famílias,
principalmente para aquelas famílias que sobrevivem da actividade produtiva informal.
A valorização do bem vida através de um simples gesto da prática de higienização associada ao confinamento,
foram sem sobras de dúvidas os apelos que os estados a nível do mundo optaram para minimizar os
efeitos devastadores causados pela pandemia da Covid-19.

Building Resilience to Climate Change in Angola’s coastal cities

Allan Cain
Tuesday, 24 November, 2020

Project Objectives - Climate Change, Water Supply
in Coastal Settlements of Post-War Angola

• Improve knowledge about the climate and
hydrology in coastal areas of Angola by filling the
data gaps in order to understand trends and
variability.

• Improve information about settlement patterns and
population in four of Angola’s urban coastal cities,
housing over 10 million people. Assess the risks,
impact and vulnerability from flooding and erosion
at present and under future climate scenarios.

• Create tools for adaptation planning in Angola’s
urban coastal cities, especially for vulnerable social
groups, and develop options for better water and
settlement management.

Conhecidos vencedores do Prémio Huambo de Jornalismo

Ondaka
Sunday, 1 November, 2020

Desde 1975 0 mês de Novembro remete-nos a pensar sobre a Independência conquistada ao colonialista
português. A luta pela soberania do povo angolano, motivou a criação de movimentos de libertação que
faziam, inicialmente de forma tímida, pressão a nível do território de Angola, e uma advocacia externa,
para que a independência fosse realmente um facto. As injustiças em todos os campos, protagonizado
pelo julgo colonialista, foi de facto, a força impulsionadora para o derrube governo português que tinha
Angola como uma das suas províncias ultramarinas a par de Moçambique, Guine, Cabo Verde, São
Tomé e Príncipe, Macau, Estado da Índia e Timor. O alcance da Independência foi uma vitoria do povo
angolano que perspetivava uma Angola que dava aos seus filhos melhores oportunidades de vida.
É

Síntese Final - Relatório CNEF - Mercados Informais de Luanda

CNEF
Saturday, 24 October, 2020

O conselho Nacional de Estabilidade Financeira (CNEF) envidou esforços para promover o conhecimento sobre o panorama de inclusão e exclusão financeiras nos mercados informais de Luanda, com  a criação e aplicação de inquéritos nos principais mercados informais da Capital, nomeadamente, o Asa Branca, Kikolo, Congolenses, Mercado 1º de Agosto(Catinton) e o Mercado do Trinta. 

Relatório CNEF - Mercados Informais de Luanda

CNEF
Saturday, 24 October, 2020

O conselho Nacional de Estabilidade Financeira (CNEF) envidou esforços para promover o conhecimento sobre o panorama de inclusão e exclusão financeiras nos mercados informais de Luanda, com  a criação e aplicação de inquéritos nos principais mercados informais da Capital, nomeadamente, o Asa Branca, Kikolo, Congolenses, Mercado 1º de Agosto(Catinton) e o Mercado do Trinta. 

Angola Chapter - Africa Housing Finance Yearbook 2020

Thursday, 1 October, 2020

Angola is a vast country covering an area of 1.247 million square kilometres
with a long coastline and central plateau that borders Namibia, Botswana,
Zambia and the Democratic Republic of Congo. Its total population was
estimated at 32 971 101 inhabitants in 2020,1 representing an increase of
more than two million people compared to 2018 (30.81 million). The main
cities are Luanda (the capital), Huambo, Benguela, Lobito and Lubango. The
country is renowned for its status as the second largest oil producer in Africa.

Situação da mulher rural continua aquém do desejado

Ondaka
Thursday, 1 October, 2020

Homenagear a mulher rural é reconhecer a sua nobre tarefa no desenvolvimento das comunidades rurais
cuja responsabilidade transcende para o meio urbano. De forma subjectiva, afirma-se que o índice de
“mulheres chefes de família” no meio rural é relativamente baixo, se comparado com as famílias que são
chefiadas por homens. Mas se analisarmos minuciosamente sobre o significado de liderança e
responsabilização familiar, notaremos que os dados estatísticos entrarão num fórum de discussão por
contradizer os dados oficiais. Esta abordagem é sustentada pelo papel económico que desempenha a
mulher rural, pois é ela que tem a maior responsabilidade nas variadas fases da produção agrícola, associada
a grande tarefa de cuidados domésticos. Neste quesito, os programas voltados ao combate à fome e a
pobreza tem que necessariamente incorporar nas suas variadas componentes o empoderamento da mulher,
não só para as questões de produção agrícola, mas também no elevar da sua consciência cognitiva de
forma a contribuir para o desenvolvimento da sociedade.

Director da Educação realça participação da sociedade na alfabetização

Ondaka
Tuesday, 1 September, 2020

O mês Setembro é sempre marcado com a preparação efectiva da terra para a produção agrícola. Apesar
das inúmeras dificuldades de acesso de fertilizantes que a classe camponesa enfrenta, ela nunca deixou de
acreditar que é possível ter uma produtividade agrícola maior do que os anos anteriores. Esta crença é
feita na base da esperança de ver resolvida os seus problemas mediante as colheitas de variados produtos
que a terra nos oferece. Neste quesito, o sol, a terra e a água são recursos importantíssimos para que
possamos depositar nossa confiança na produção, eis a razão da existência de povos que veneram estes
recursos para que a sua distribuição obedeça a real necessidades dos seres vivos

Revisão OGE 2020

Tuesday, 11 August, 2020

Foi publicada em Diário da República a Lei n.º 31/20, de 11 de Agosto, a qual aprova a revisão do Orçamento Geral do Estado para o exercício económico de 2020.Entre as diversas alterações efectuadas ao Diploma original, cumpre destacar as seguintes:

Aprovação do regime excepcional para a regularização de obrigações tributárias, nos termos do qual se prevê que as dívidas tributárias em litígio judicial, cujos processos tenham sido iniciados até 31 de Março de 2020, possam beneficiar do perdão de juros e multas, bem como de uma redução de 30% do montante do imposto.

Impact of COVID-19 in Africa: a scenario analysis to 2030

JAKKIE CILLIERS , MARIUS OOSTHUIZEN , STELLAH KWASI , KELLY ALEXANDER , TK POOE , KOUASSI YEBOUA AND JONATHAN D MOYER
Thursday, 30 July, 2020

This report presents three scenarios on the impact of COVID-19 in
Africa using economic growth forecasts, mortality and efforts to
ameliorate impact through social grants. Likely effects are examined
on per capita income, poverty and the attainment of selected
Sustainable Development Goals targets. Africa’s development trajectory has suffered a severe setback, with extreme poverty rising
in all the scenarios. The pandemic threatens Africa in several ways,
and the report provides policy recommendations to reduce
vulnerability and strengthen resilience.

Angola's new president: reforming to survive

PAULA CRISTINA ROQUE
Thursday, 30 July, 2020

President João Lourenço – who replaced José Eduardo dos Santos in 2017 – has been credited with signicant progress in fighting corruption and opening up the political space in Angola. But this has been achieved against a backdrop of economic decline and deepening poverty. 

O QUE OS JOVENS PENSAM SOBRE RECRUTAMENTO E SELEÇÃO

CELSO DA SILVA
Friday, 17 July, 2020

A publicação deste estudo surge na sequência da publicação da minha obra “Gerenciamento de recursos humanos: análise e caraterização da realidade angolana com ênfase no sistema de recrutamento e seleção de pessoas de 1975 a 2015”. Como duas obras se complementam, ainda é possível exibir vistas. A Aquela faz uma abordagem teórica sobre os principais conceitos e sobre a história da gestão de recursos humanos, sem a preocupação de componentes de recrutamento e seleção de quadros no setor público. Isso faz um estudo das principais expectativas, percepções e opiniões de um conjunto de candidatos à função pública angolana.

DW promoveu um curso sobre Delimitação Rural Participativa (DRP)

Wednesday, 1 July, 2020

O mês encerra com dedicação a mulher do nosso grande continente. A mulher africana criou sua própria
personalidade fruto dos problemas económicos e sociais do continente, onde ela foi forçada adaptar-se
as diversas circunstâncias oferecidas pelos países que constituem o berço da humanidade.
A pobreza que assola a maioria dos países, fez e continua a fazer da mulher africana um ser resiliente à
problemática causada por falta dos serviços básicos essenciais para o sustento da família. Como parte
fundamental para o sustento da maioria das famílias africanas, é possível ver o mercado informal inundado
de mulheres de diferentes idades a praticarem vendas quer em lugares disponibilizados pelas entidades
afins como em ruas das “cidades”. Fazem-no esta prática por falta de oportunidades a um emprego
formal e sobretudo por estarem imbuídas de responsabilidade familiar onde muitas delas desempenham o
duplo papel (pai e mãe), que muitos de nós somos o que somos hoje graças a força inexplicável que
nossas mães tiveram e têm.

Angola Financial Inclusion Study - WB BNA

CNEF
Wednesday, 1 July, 2020

A inclusão financeira é um facilitador fundamental para
reduzir a pobreza e aumentar a prosperidade. Inclusão
financeira significa que indivíduos e empresas têm acesso
a produtos e serviços financeiros úteis e acessíveis que
atendem às suas necessidades - transacções, pagamentos, poupança, crédito e seguros - prestados de forma
responsável e sustentáda. A capacidade de aceder a
uma conta bancária é o primeiro passo para uma inclusão
financeira mais ampla, pois uma conta bancária permite
que as pessoas armazenem e recebam pagamentos

Exploring the impact of COVID-19 in Africa: a scenario analysis to 2030

Thursday, 25 June, 2020

Three alternative scenarios (V, U and L) on the impact of
COVID-19 in Africa to 2030.

Compare impact with a pre-
COVID-19 scenario
Use the International Futures forecasting platform (IFs).
Data sources and input:

• Three consultation sessions with 200 content, national and
regional experts

• Three small expert working session (growth, health & policy)

• IMF growth forecasts Oct 2019 and April 2020

• Imperial College global impact report (March 2020) for
mortality and infection rates

• Additional data collection and desktop research

Housing Strategies for Luanda’s Expanding Periphery

Kareem Mitchell (2020)
Wednesday, 24 June, 2020

Estratégias de habitação baixa e alta densidade para a periferia em expansão de Luanda Palavras-chave: Planejamento de projetos, desenvolvimento urbano, habitação de baixo custo, modernização de assentamentos, gestão comunitária da água e microfinanças. A urbanização está ocorrendo rapidamente em algumas das áreas mais populosas e menos urbanizadas do mundo, principalmente na Ásia e na África. Enquanto pouco mais da metade da população mundial vive atualmente em áreas urbanas, espera-se que o percentual aumente para cerca de 68% até 2050. 1 Já alta, a demanda por moradias nas cidades africanas deve crescer exponencialmente nas próximas décadas.

World Bank Angola - Poverty Assessment

WORLD BANK
Wednesday, 24 June, 2020

This overview summarizes the estimates of monetary and non-monetary poverty and the profile of
the poor in Angola based on the recently released household budget survey, Inquérito sobre
Despesas, Receitas e Emprego de Angola (IDREA 2018/2019).
The last household budget survey for the measurement of poverty in Angola was the Inquérito
Integrado sobre o Bem-Estar da População (IBEP) undertaken in 2008. Given that the two surveys,
IDREA and IBEP, are not comparable for measuring the change in the monetary poverty rate, the
focus of this report is on understanding the geographic and socio-economic characteristics of
poverty in Angola, for the purpose of informing the design and targeting of more effective poverty
alleviation policies as well as providing a new baseline for the monitoring of progress toward the
reduction of poverty and the boosting of shared prosperity in the country

Relatorio de Pobrezapa Angola

INE
Thursday, 4 June, 2020

O Instituto Nacional de Estatística (INE) de Angola, realizou o Inquérito sobre Despesas e
Receitas (IDR) e Inquérito sobre Despesas e Receitas e Emprego em Angola (IDREA), de
Março de 2018 a Fevereiro de 2019.
O IDR destina-se a medir e a comparar a pobreza mediante o consumo e usou o método diário,
que consistiu em realizar visitas alternadas, ao agregado familiar, durante 7 dias registando as
suas despesas; metodologia similar usada no Inquérito Integrado sobre o Bem-Estar da
População (IBEP) 2008/2009

Community Management and the Demand for ‘Water for All’ in Angola’s Musseques

Cain, Baptista
Wednesday, 3 June, 2020

The Angolan State’s post-war center-piece reconstruction program, to provide the human
right to ‘Water to All’, remains incomplete. The majority of Angola’s peri-urban communities still
use the informal market to fill the gap. Water selling is the largest sub-sector of Luanda’s extensive
informal economy, involving extractors, transporters and retailers. Negotiating for water at the local
household level involves significant trading in social capital. Communities in Angola’s musseques
have built on neighborhood solidarity to manage the supply of water themselves. The article is
drawn from the authors’ experience in practice to examine the complexity of Angola’s informal
water economy and local-level innovative responses. The Government has drawn on these lessons
and adopted the community management model MoGeCA (the Portuguese language acronym for
Model of Community Water Management)to help address the shortfall. The article is written from
a practitioner’s point of view, based on more than a decade of experimentation in practice and support
from USAID and UNICEF in taking community management to the national scale.

Impacto da informalidade na Restruturação - Luanda

Castro, Reschilian
Monday, 1 June, 2020

O impacto da informalidade na (re) estruturação das metrópoles periféricas contemporâneas: o caso de Luanda, Angola

A organização do espaço metropolitano dos países periféricos é uma materialização da organização socioeconômica, política e cultural, onde combinada-se as ações formais e informais. Este trabalho analisa o impacto da informalidade na (re) estruturação urbana das metrópoles contemporâneas do Sul Global, tendo Luanda, Angola, como caso de estudo. Constate-se por meio de estudo dos transportes informações: existe um espaço intermediário, não ocorre um encontro entre o objeto e o sujeito que se desenvolve em todos os outros componentes políticos, econômicos, sociais, culturais e espaciais, como assim, um espaço híbrido, aqui apresentado como novo paradigma teórico / metodológico para o planejamento e desenvolvimento socioespacial das metrópoles periféricas, face ao discurso e análise pelo desenvolvimento, modernidade e inserção global.

Palavras-chave: Luanda; Informalidade; Estruturação urbana; Espaço híbrido; Transportes informais.

Crianças lutam pela sobrevivência em distintas ruas do Huambo

Monday, 1 June, 2020

sustentabilidade cultural e económica de um país depende dos investimentos de hoje que recaem
sobre a criança. Ela é o pilar fundamental que sustenta as placas das linhas do desenvolvimento
continuo do País. De forma hipotética, se não prestarmos convenientemente atenção as nossas crianças
estaremos a perigar o futuro próximo do país. É notório ver todos os dias crianças deambulando pelas
ruas a procura de uma mão caridosa que lhe possa dar uma moeda, alimento ou vestimenta para suprir as
suas necessidades. Estas crianças não lhe são garantidas esperança de um futuro que possa contribuir
para o desenvolvimento do país. Vê-se igualmente crianças que precocemente contribuírem para o sustento
familiar por via da actividade informal como: venda de produtos diversos incluindo máscaras faciais,
lavagens de viaturas, engraxando sapatos, etc. Enaltecemos aqui, iniciativas das instituições governamentais
e das organizações da sociedade civil que alinham no resgate e preservação dos direitos da criança
devolvendo a elas esperança de uma vida melhor.

Housing middle-classness: formality and the making of distinction in Luanda

Claudia Gastrow
Friday, 1 May, 2020

On 11 July 2011, President José Eduardo dos Santos opened the first phase of the
new satellite city of Kilamba. Made up of a series of green, blue, yellow and pink
Chinese-designed high-rises, the initial phase of 20,002 apartments was meant to
house approximately 80,000 people and included schools, clinics and new infrastructure.
As the flagship project of the Angolan state’s post-conflict housing
programme, Kilamba was, as Buire (2014: 300) has argued, ‘politically crafted
to be the shop-window of the Angolan miracle’, an indication of the country’s
new-found prosperity. Local media and publications from the ruling MPLA
(Popular Movement for the Liberation of Angola) advertised Kilamba as proof
of the post-conflict state’s care for the population and its capacity to overcome
the wreckage of Angola’s twenty-seven-year civil war. However, as much as
Kilamba was meant to be evidence of the new, it reproduced long-standing
links between the state, formality and urban distinction.

AddThis