DW AngolaOnline Library

Online Library

Roque Santeiro Informal Market - Informal Market World Atlas

Allan Cain
Thursday, 31 December, 2020

The market of Roque Santeiro emerged as an important centre of the informal economy in Luanda in the 1980s as the government encouraged people who had begun to sell on street corners to move to what was, before 1985, a piece of waste ground and informal rubbish tip. Even then, though the government was not in favour of the growth of the informal economy it was unable to prevent it and felt that it could only move it to what was then a marginal location. In the late 1980s and 1990s Roque Santeiro was the largest market in the city (and possibly the largest open-air market in Africa) serving as the main distribution point for other markets as well as selling directly to the public: goods from other areas of Angola and goods imported through the port (a short distance away) were traded in bulk at Roque Santeiro and then traded in smaller quantities in other areas of the market or in other locations.
The informal trading economy in Luanda continued to grow in the decade after the achievement of peace in Angola. The main underlying factor that contributes to the continued importance of the informal trading economy is the shortage of formal employment, which leads to large numbers of people creating their own economic activities in ways that require only small amounts of capital and low levels of skill.
Roque Santeiro was closed in 2010. Many day and casual labourers have lost their livelihoods, a scenario which may have contributed to increased levels of crime and delinquency in Luanda. The market had been a huge source of employment within the city, and its transfer meant a loss of employment for stevedores and ambulant sellers who earned a daily livings there and local house owners who provided overnight temporary warehousing of merchandise.
The Government however has renewed its determined effort to stamp out informal trading in early 2014 by announcing a heavy regime of fines, not only on informal traders, but on their customers as well. The image of the informal trader is seen as an affront to those who wish to promote the vision of Luanda as a world-class modern city, despite the fact that these informal markets still provide essential services and employment to much of the urban population.

ORÇAMENTO GERAL DO ESTADO 2018

Tuesday, 5 November, 2019

sector da água e do saneamento tinha, no OGE de 2017, um peso residual de 1,6%. Se se considerar que, em Dezembro de 2016, a inflação ascendeu a 42%, rapidamente se conclui que o montante disponível para o desenvolvimento deste sector foi bastante inferior ao alocado nominalmente. De modo similar, é importante
ter em mente que, para 2018, a taxa de inflação foi estimada em 28,70%.

Fórum Nacional de WASH - Proposta

Monday, 4 November, 2019

O FONAS deverá ser constituído por um Decreto Presidencial, deverá envolver vários Ministérios ligados muito directamente ao Sector da Água e Saneamento (Energia e Águas, Ambiente, Finanças, Saúde e Educação), sendo presidido pelo MINEA, que, com esses Ministérios constituirão a Comissão Executiva do FONAS (CE). Para além da CE o FONAS terá um Secretariado e constituirá Grupos de Trabalho Temáticos. Poderá ainda constituir um Conselho Consultivo Alargado, de modo a envolver nas suas actividades todas as partes interessas do Sector. O FONAS irá funcionar, fundamentalmente, com dirigentes e quadros técnicos dos Ministérios e outras entidades públicas envolvidas, e com a participação graciosa de Organizações Não governamentais, Doadores, Financiadores, sector privado e muitos outros organismos e entidades da Sociedade Civil.

5th National Report on Biodiversity in Angola

Friday, 20 September, 2019

With a little more than 50% of its population living in rural areas, the Biodiversity
components influence on the daily survival of each of them. Virtually all activities
carried out in rural areas depend on Biodiversity: Agriculture, livestock, artisanal
fisheries, livelihood, hunting, house construction etc. are activities that use the
biodiversity components.

Understanding Climate Change is Key To Tackling It

Thursday, 15 August, 2019

The seminar was very productive, with good discussions on the mapping of locations of each of the communities which were represented. The mapping enabled us to identify existing institutions, social and economic infrastructures and the kind of support needed for artisanal fishing. The exercise helped participants understand their communities and activities they needed. The seminar also examined the social, economic and governance factors that may have an impact on the climate and artisanal fisheries such as the environmental changes. We analyzed the environmental factors and identified the causes, the impact on fishermen and measures that can be used to mitigate risks and create more resilience to climate change. We had a deep analysis of these environmental factors because the views of those in the fishing industry were considered. They had knowledge of timeline of events. This chronology of events will be analyzed to learn more about alternative methods to mitigate the effects of these environmental changes. This work has been made possible through the developed methodology which require the communities to follow different steps to identify environmental factors that affect them and their activities and come up with adaption plans resistant to climate change.

Biodiversity of Angola

Monday, 12 August, 2019

Angola is a country of unusually rich physiographic, climatic and biological diversity. It occupies only 4% of the terrestrial area of Africa, yet it possesses the highest diversity of biomes and is second only to mega-diverse South Africa in terms of the number of ecoregions found within its borders. However, scientific literature on its

Employment in Infrastructure Construction

Monday, 1 July, 2019

The labour market in Angola is by and large characterized by high urban unemployment rate, including disguised unemployment of those who have given up looking for jobs, high levels of informality in labour relations, underemployment in rural areas where unemployment is not an option
for the poorest. Although the main reason for labour market characteristics is the limited formal labour demand for better paid workers, there is generally a skill deficit in the labour force, i.e. lack of a well-trained labour force, primarily due to the low level of schooling and vocational training considering the income per capita of Angola. Qualitative interviews frequently stressed this structural
deficit of workers with employable skills in both the construction and manufacturing sectors, despite the reported growth in these sectors for the last 15 years. However, employment generated in these sectors since the end of the war in 2002 has led to an improvement in the situation and an expansion
in the pool of workers with relevant skills. Yet, this growth has not been enough to meet the demand for semi-skilled and skilled workers like electricians, welders, carpenters, heavy machinery operators, among other categories. The Angolan vocational education system has not generated enough candidates with the relevant skills. Therefore, companies in these sectors still represent very important
sources of formal and informal on-the-job training for workers to contribute to skill development, particularly in public works construction and construction materials manufacturing.

Políticas do Mercado de emprego em Angola

Monday, 1 July, 2019

Angola encontra-se num momento crucial do seu processo de desenvolvimento. Apôs um longo período de reconstrução nacional, o País enfrenta novos desafios relativos a uma melhor distribuição das rendas para diminuir as desigualdades sociais, ao mesmo tempo que deve continuar a promover a diversificação
económica dinamizando a indústria nacional assim como o investimento directo estrangeiro. Um dos elementos mais relevantes para poder combinar ambos objectivos, maior redistribuição das rendas e promoção do investimento, é a consolidação de uma mão-de-obra qualificada que responda às
necessidades do mercado ao mesmo tempo que permita aos cidadãos angolanos desenvolverem os seus projectos vitais com emprego de qualidade.

Relatorio de Condições de Emprego em Angola Resultados

Monday, 1 July, 2019

Apesar do forte crescimento económico que Angola registou no princípio do período pós-guerra, particularmente entre 2002-2013, o desempego, em geral, contínua ainda a ser um grande

problema para a maioria da sua população mas muito particularmente para sua juventude, conforme atestam os últimos dados publicados pelo Instituto Nacional de Estatística. O sector da construção devido ao processo de reconstrução criou muitos empregos, destacando-se aqueles criados por

empresas estrangeiras envolvidas nos projectos financiados através do programa de financiamento da China.

Resumo das Condições de emprego em Angola

Monday, 1 July, 2019

A situação geral do mercado de emprego em Angola está caracterizada por altas taxas de desemprego, incluindo uma alta taxa de desempregados que não estão a procura de emprego, alta incidência da informalidade no trabalho, e forte subemprego nas zonas rurais do País, onde geralmente para os mais pobres o
desemprego não é uma opção. Embora o motivo principal destes défices no mercado de trabalho seja a escassa oferta de emprego nos sectores mais formais e de maior remuneração, existe também um déficit importante de qualificação da mão-de-obra, devido às baixas taxas de escolarização atendendo ao PIB per capita do País. A pesquisa qualitativa salientou o persistente déficit de pessoal qualificado nos sectores da construção e industrial apesar do crescimento destes sectores nos últimos 15 anos. Todavia, graças ao emprego gerado nestes sectores existe hoje uma base de mão-de-obra mais bem preparada, porém insuficiente, especialmente em áreas mais específicas como electricistas, soldadores, carpinteiros, operadores de maquinaria pesada, etc. O sistema de ensino vocacional não tem gerado candidatos suficientes e com as competências relevantes. Portanto as empresas destes sectores ainda representam fontes muito importantes de mecanismos formais e informais de aquisição de competências e habilidades especificamente relevantes para as obras públicas e as fábricas de materiais de construção.

Projecto de Gestão de Terras realiza encontro de balanço com parceiro

Monday, 1 July, 2019

Entramos no segundo semestre do ano. Efectivamente avaliamos nossas acções e por via desta melhoramos o que de errado foi feito. A reflexão da qualidade da acção deve rigorosamente ser feita por todos nós, não importando a que extrato social que cada um de nós pertence. A acção de qualidade deve ser imperiosamente aquela cujos indicadores reflectem na promoção de uma convivência sã entre cidadãos que vivem na mesma aldeia, bairro, comuna, município e província. Ao procedermos desta forma, nos orgulharemos de nós mesmos como cidadãos, isto pelo facto de estarmos a contribuir para o desenvolvimento local, assim sendo teremos uma consciência sadia para exigir dos nossos representantes espalhados em diferentes esferas do estado na melhoria dos seus serviços prestados.

EFFECTIVENESS OF PLANNING LAW IN SUB-SAHARAN AFRICA

Monday, 10 June, 2019

Th e city Luanda is both the administrative capital of Luanda Province and Angola.
It is located on the Atlantic coast of northern Angola and is one of the nation’s
busiest seaports. Th e city is made up of the following six urban districts which
form Luanda municipality; a) Ingombota b) Rangel c) Maianga d) Kilamba Kiaxi
e) Samba and f ) Sambizanga.
Th e General Masterplan of Luanda 2018 establishes a de facto urban growth
boundary through land use zoning. Th e average population density within
the growth boundary is 5,126 per people per km2.130 According to the national

O Custo de Desenvolvimento de Infraestruturas em Angola

Monday, 10 June, 2019

Apesar dos enormes investimentos públicos que já foram feitos em Angola durante a última década, e os diversos projectos de construção concluídos com êxito, ainda há uma necessidade urgente de construção ou reabilitação de estradas, casas, escolas e indústrias. A falta de moradias é um problema crónico que tem levado à expansão de
musseke generalizado, especialmente em e ao redor da capital, Luanda, uma
cidade construída para sustentar uma população de 700.000 habitantes e
que hoje abriga mais de 4 milhões de pessoas, de acordo com algumas fontes
oficiais.

3.436 PESSOAS MORRERAM NAS ESTRADAS DA PROVÍNCIA DO HUAMBO ENTRE 2006 E 2019

Saturday, 1 June, 2019

Neste mês de Junho do ano 2019, prosseguimos com a nossa missão de divulgar o que de mais importante vai acontecendo, tanto a nível da comunidade como também no cenário provincial e Nacional. A nossa existência até ao momento é resultado da importância do reconhecido contributo que o Ondaka tem dado à sociedade, no tocante à sua informação e à sua formação no geral, principalmente para os sectores da sociedade que têm tido menor acessão às fontes escritas de informação. Ao nível das zonas mais periféricas relativamente aos centros urbanos, nomeadamente as comunas e aldeias mais distantes, a nossa publicação tem conseguido alcançar o maior impacto, por levar até si a informação por que tanto anseiam. 

PROJETO DE INVESTIGAÇÃO AFRICA HABITAT

Wednesday, 8 May, 2019

O Projeto “Africa Habitat, da sustentabilidade do habitat à qualidade do habitar nas margens urbanas de Luanda e Maputo”, está sediado no CIAUD-FAUL, é conduzido por uma equipa do Gestual, em articulação com seis parceiros de instituições de Lisboa (IST-UL e Cesa-ISEG-UL), Luanda (DA-FE-UAN e APDES) e Maputo (FAPF-UEM e Kaya Clínica), sendo coordenado por Isabel Raposo e financiado pela Fundação para a Ciência e Tecnologia e pela Rede Aga Khan para o Desenvolvimento.

HUAMBO  TEM  ENERGIA  ELÉCTRICA SUFICIENTE PARA INVESTIR NOS VÁRIOS SECTORES

Wednesday, 1 May, 2019

O nosso boletim ondaka, surge uma vez mais, desta feita na edição do mês de Maio, para cumprir com o seu propósito de levar a notícia aos seus fiéis leitores, e procurar um cada vez maior espaço junto de novos leitores. Apesar das dificuldades em cumprir com este compromisso com o nosso auditório, contamos com a perseverança de todos os que têm estado envolvidos neste projecto, para que continuemos a manter vivo este boletim noticioso, a bem de todos os participantes e beneficiários. 

PROJECTO DE GESTÃO DE TERRAS REALIZOU UM ENCONTRO COM OS TÉCNICOS DAS ADMINISTRAÇÕES MUNICIPAIS, IGCA E INOTU

Monday, 1 April, 2019

Trazemos neste numera a narração de alguns episódios da vida nas comunidades, e fazemos alusão a efemérides importantes ocorridas neste período. Trazemos ainda à notícia a bordagem da questão da gestão das terras ao nível da província do Huambo, envolvendo as autoridades e outros actores nesta matéria. Dá-se também espaço à divulgação das principais realizações em que se encontra envolvida a representação no Huambo da ONG Angolana, Development Workshop (DW). 

DIA DO PAI, MARCADO COM TEMA DE REFLEXÃO SOBRE PATERNIDDE RESPONSÁVEL

Friday, 1 March, 2019

Comemorado sob o lema: “Pai Presente, Família Feliz e Paternidade Responsável, o dia internacional do pai, na Província do Huambo, foi saudado com a realização de uma palestra de reflexão, sobre a Paternidade Responsável, brindada pelo Pastor Afonso Dumbo, que destacou a importância da paternidade no desenvolvimento da criança e aconselhou aos presentes a observarem 4 princípios importantes no exercício da paternidade responsável (ser exemplar, buscar equilíbrio entre a amizade e autoridade, participação na vida do filho e a conquista de um espaço no seio da família).

Teste do menu

Friday, 22 February, 2019

teste

Biodiversity of Angola

Friday, 22 February, 2019

Angola possesses an unusually rich diversity of ecosystems and species,
but this natural wealth is poorly documented when compared with other countries in
the region. Both colonial history and extended wars challenged progress in biodiversity research and conservation, but since peace was achieved in 2002 a rapidly increasing level of collaboration between Angolan and visiting scientists and institutions has seen a blossoming of biodiversity research. The absence of comprehensive reviews and syntheses of existing knowledge, often published in extinct journals and inaccessible official reports, necessitates a modern synthesis. This volume brings together the existing body of scientific results from studies on Angola’s landscapes, ecosystems, flora and fauna, and presents an outline of opportunities for biodiversity discovery, understanding and conservation as well as collaborative research.

Climate change scenarios for Angola: an analysis of precipitation and temperature projections using four RCMs

Thursday, 14 February, 2019

According to the recent Intergovernmental Panel on Climate Change assessment report (IPCC, 2013), climate change is expected to intensify regional differences in
Africa’s natural resources and worsen the vulnerability of the continent due to increasing temperatures and significant changes in precipitation regimes. Some studies show that changes in climate are already being observed in Africa (e.g. New et al., 2006; Christy et al., 2009; Sarr et al., 2013; Kusangaya et al., 2014). In particular, a trend towards an increase in temperature (e.g. Kruger and Shongwe, 2004) and a decrease in annual precipitation (Zengeni et al., 2014) has been recorded from meteorological stations in the southeastern coast of South Africa, during the last decades. Moreover, increasing trends in extreme precipitation
events have been found in those regions that have shown an overall decrease in annual precipitation (IPCC, 2013).

Conspicuous Consumption in Africa

Wednesday, 9 January, 2019

Relatório Final da Sustentabilidade da Organização Sociedade Civil em Angola

Monday, 7 January, 2019

A economia de Angola continuou a lutar em 2017. Uma vez que o petróleo representa cerca de um terço do PIB do país e mais de 95% da sua exportação, o declínio acentuado e prolongado do preço global do petróleo desde os meados de 2014 teve um impacto significativo. A receita reduzida fez com que o crescimento do PIB desacelerasse de uma média anual de 10,3% em 2004-2014 para apenas 1,5% desde 2015. O governo respondeu, reduzindo às despesas, desvalorizando o Kwanza e aumentando as receitas do sector não petrolífero. No entanto, os angolanos continuaram a experimentar uma deterioração acentuada das suas condições de vida em 2017, incluindo a falta de medicamentos nos hospitais, a depreciação dos salários, aumento do desemprego e as constantes flutuações no fornecimento de água e da energia eléctrica.

Delegada da união Europeia constata o andamento do Projecto de Gestão de Terras

Saturday, 1 December, 2018

A informação é um processo integral e promissor de uma sociedade para a sua formação e desenvolvimento, por isso é com muito gosto que retrato este espaço do j o r n a l Ondaka pois que é um meio de comunicação c o m bastante relevância, visto que elabora uma síntese d e informações decorrente na sociedade Angolana em particular na província do Huambo. 

ÁGUA E SANEAMENTO no OGE 2017

Tuesday, 6 November, 2018

O peso do orçamento do sector de Água e Saneamento no OGE 2017 aumentou para 1.6% (com relação a 1.2% no OGE Revisto de 2016), abaixo do nível de 3.5% estabelecido internacionalmente para que os países da África Subsariana alcancem os Objectivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) até 2030.

AddThis